google-site-verification: google1dd19db594c6c3b6.html Crônicas do Peró: Janeiro 2011

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

FIM DE FÉRIAS

    Ultimo dia do primeiro mês do ano, para muitos o final de um período de descanso, voltas às aulas, o fim de um recesso que dura às vezes mais de um mês, ultimamente estou em eterno descanso, apenas acompanhando minha esposa e filhos no período de férias.
    Viajei bastante, fui com minha esposa e filho, para Santa Catarina, Balneário Barra do Sul onde este meu filho mora, foram dez dias de otimos passeios. Acabo de chegar hoje de outro passeio, fui com minha esposa e meus três filhos, muitos sobrinhos e amigos  para Ubatuba, praia da Almada, onde passamos maravilhosos cinco dias, durante estes períodos fiz coisas que há tempos não fazíamos, como nos desligarmos um pouco do mundo exterior, não li jornal e raramente assisti televisão. Dei uma desligada do mundo.
    Voltando, quis me inteirar do noticiário, vejo que poucas coisas estão ocorrendo no Brasil e no Mundo, parece que nesta época, alem das catástrofes de todos os anos, os humanos entram também em modo de espera. Algumas notícias chamaram minha atenção; a co-liderança do meu amado Palmeiras na tabela do campeonato Paulista, e outras três as quais vou dedicar um paragrafo para comentar.
    A discussão interminável sobre o Enem, as inscrições do Sisu chamam minha atenção, como podem pessoas que ganham muito bem, não conseguirem realizar uma prova e uma classificação há dois anos sem incidentes, numa total falta de competência e gabarito. Agora a nova chefe ou presidenta, como esta na moda, do Inep vem afirmando que estes dois primeiros anos eram testes, que tudo vai ser diferente, aposto que a solução, concordando com notícias do UOL, vai ser a criação do " Concursobrás ".
    O país das pirâmides, o que dizem belo e lindo Egipto, que tem um " presidente " o sr. Hosni Mubarak no poder desde 1981, num total de trinta anos, ameaçado de ser derrubado. Chamem o "Tio Sam", o único super-herói no planeta com poderes de manter ou derrubar ditaduras, serão mais alguns dias de noticiários da "Globo" e seus correspondentes, enviados especiais. E assim caminha a humanidade. O que comento disto tudo, deixem os egipsios resolverem os problemas do Egipto.
    Por ultimo, vamos ter eleições para presidente do senado e da câmara, isto possivelmente amanhã, que é futuro, no senado o presidente eleito é o senador maranhense eleito pelo Amapá, o sempre no poder sr. José Sarney, que é passado, ou foi, ou sempre será, ou continua sendo, aquele que nunca foi condenado em escândalos nenhum, nunca será, mas continua sendo protagonista. O presidente da câmara deve ser o sr. Marco Maia PT-RS, do qual nunca ouvi falar, espero que isso seja um handicap.



P.S. Agradeço as pessoas que já leram minhas cronicas, peço para vocês, se gostaram ou não, postem comentários, pois seria otimo ter com quem promover debates.

                                                                                         Amém!

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

De SÃO PAULO para SÃO PAULO.

     Prestes a completar 457 anos, a grande megalópoles, a antiga terra da garoa, a maior cidade do país e uma das maiores do planeta. Aquela que me assusta todas as vezes que a visito e ultimamente tem sido com certa frequência; pois, toda vez que vou até la, me da ainda aquele friozinho na barriga, aquele desespero, temor, por todo seu gigantismo, por sua velocidade desenfreada, pelas suas multidões anónimas.
    Mas sempre me vejo a contemplar a sua exclusiva beleza: Nos prédios modernos e centenários; nas suas avenidas expressas e praças tradicionais; na sua ausência de antigas favelas e seus monumentos históricos;  nos seus habitantes fugidios e nas multidões de apaixonados; seus estádios de futebol ao seu metrô viscerante. Tudo em ti tão imenso e tão intenso.
    Tantos já te cantaram, não serei mais um, não posso ter a presunção de fazer como: Caetano Veloso, Adoniram Barboza, Tom Zé, Eduardo Gudin e tantos outros. Maravilhosas canções foram dedicadas a ti, as suas avenidas, a sua maravilhosa gente; esta de todo lugar, deste e de tantos outros países.
    Quatrocentos e cinquenta e sete anos de historia, e que historias tens contadas e quantas ainda a contar; berço da independência, palco de lutas pela constituinte e pela redemocratização; e tantas outras. Sonhos de gerações guardas em tua alma, enluteces com cada uma que tu perdes, mas alegrastes com cada uma que paris de teus ventres.
    Já falei muito de ti, não me considero digno de cantar as suas grandezas, deixo a aqueles que te descobriram e a amaram, antes que eu me apaixonasse.Por isso encerro de São Paulo para São Paulo.
   
    " Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos,
    se não tiver caridade,
    sou como o bronze que soa,
    ou como o címbalo que retine.
      Mesmo que eu tivesse o dom da profecia,
    e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência;
    mesmo que tivesse toda a fé,
    a ponto de transportar montanhas,
    se não tiver caridade,
    não sou nada.
      Ainda que distribuísse todos os meus bens em sustento dos pobres,
    e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado,
    se não tiver caridade,
    de nada valeria!


                          Amém! 


    

sábado, 22 de janeiro de 2011

POR QUEM OS SINOS DOBRAM ?

    Hoje fui convidado para ir a uma reunião na fundação cultural de Paraibuna, onde seria discutido sobre cultura; passado, presente ou futuro, não sei, não tive vontade de ir.
    As autoridades de minha pequena e amada cidade, me decepcionaram no tocante ao assunto cultura, pois afirmam aos quatros ventos que ela não é prioridade; alguns até afirmaram que o povo não precisa dela, pois vive muito bem sem ela. Apenas discordo, não me resta outra alternativa além da discórdia, pois sou apenas povo, só tenho o direito de votar e aguardar.
    Pensei o dia inteiro sobre como anda a cultura na minha pequena e amada cidade; como no meu grande e amado país; cheguei a conclusão nenhuma, pois também no meu amado país, a cultura não é ainda também prioridade de ninguém, pois nossa atual presidenta escolheu a irmã do grande poeta e compositor Chico Buarque, Cristina Buarque como ministra da cultura, e elas estão apenas começando a governar. No qual para mim, bom governo passado, nossa cultura não foi destaque na administração, na verdade nunca foi prioridade. Cito sempre esta minha frase: " Um país precisa de educação e cultura em primeiro lugar, depois sem ordem numérica, saúde, etc."
    Parafraseando Hemingway. Por quem os sinos dobram? Espero que não seja por ti, cultura.