google-site-verification: google1dd19db594c6c3b6.html Crônicas do Peró: Outubro 2011

terça-feira, 11 de outubro de 2011

CINE SANTO ANTONIO

    O cinema tinha acabado de ser reformado, era o novo Cine Santo Antonio, foi praticamente todo reconstruído e como ficou grande, era um marco, um monumento, na nossa pequena e pacata Paraibuna. Que na época não passava de dez mil habitantes, o que não mudou muito nesses longos anos; mas o cinema era enorme, pelo menos aos meus olhos de criança, sua fachada de pedra que dura até hoje, sua bomboniere com aquelas guloseimas com todo o sabor da infância, a cortina vermelha que nos separava do grande salão e a enorme tela branca acima do palco, onde sonhos eram projetados; a escada no Hall de entrada que nos levava ao andar de cima, onde ficava o que na época chamávamos de poleiro e também a sala de projeção, onde fachos de luzes levavam imagens inesquecíveis. Era tudo lindo, mas um belo dia chegou a televisão, começando o declínio, era o início do fim de uma era; mais bela, mais romântica. A cidade com o fim de seu cinema, começou a perder, uma parte de sua alma, o que jamais recuperou.
    Minha mãe vivia reclamando, que meu pai há tempos não a levava ao cinema, dizia com palavras duras e em tons fortes, que quando namoravam iam sempre ao cinema, quer em Paraibuna ou em São José dos Campos; agora fazia anos que ele não a levava, ela que adorava assistir os filmes em cartaz na época. Não sei dizer o porque me pai, não gostava mais de ir ao cinema, talvez não gostasse mais de sair de casa a noite ou por passar o dia trabalhando na escola.
    Um dia de tanto ela insistir ou porque aquele filme era muito bom e famoso, propôs nos levar todos nós, os dois, mais eu e meu irmão mais novo. Era sábado, o filme em cartaz "Noviça rebelde", grande clássico na época e até hoje emocionando gerações, ganhador de cinco "Oscar". Naquele dia só ia ter uma sessão, pois o filme tinha mais de três horas de projeção. De manhã minha mãe foi se arrumar toda, indo na cabeleireira e também arrumando as unhas dos pés e das mãos; muito laquê e muito esmaltes depois, foi se vestir, tornando na época o fato de ir ao cinema uma grande produção. Também nos produziu, pondo em nós nossas melhores roupas.
    Parece que aquele dia toda a cidade teve a mesma ideia, o filme era mesmo muito bom, pois quando lá chegamos a fila dobrava a esquina do quarteirão. Quanta gente bonita, todos muito bem vestidos, parecia e era uma verdadeira festa. Papai nos pôs ao lado da entrada e foi ficar na fila dos ingressos, para mim e meu irmão, aquilo foi uma eternidade, tínhamos medo que os ingressos acabassem e não conseguíssemos entrar. Os ingressos não acabaram, nem nós ficamos de fora, assistimos aquele filme que até hoje, muitos e muitos anos depois, me emociona, trazendo recordações de dias felizes de uma infância feliz, marcada por muitos momentos maravilhosos e também por alguns tristes; momentos prazerosos que um sonhador nos proporcionava.
    Alguns de vocês devem ter assistido ao filme "Cinema Paradiso" de Giuseppe Tornatore; nós também aqui tivemos o personagem "Alfredo", ele se chamava Celso Ladeira, o dono do Cine Santo Antonio, o sonhador que proporcionava há sua cidade e a toda sua gente, os sonhos que somente um cinema proporciona, coitados daqueles que hoje nas suas infâncias, nas incontáveis pequenas e médias cidades do país, não tiveram o prazer de ter um cinema, um Cine Santo Antonio, para vivenciar os sonhos  de infâncias que nenhuma televisão, nenhum computador e nenhum shopping center jamais proporcionou ou proporcionará.
    Para mim, quase meio século depois, ainda sinto o gosto de balas e jujubas, os prazeres dos sonhos; fico como o personagem "Toto" de "Cinema Paradiso", maravilhado e extasiado, por ter visto e vivido tudo aquilo. 


                                                    AMÉM!


segunda-feira, 3 de outubro de 2011

BEM VINDA, AS PRIMAVERAS

    Começamos outra estação, a Primavera, estação das flores, dos recomeços, das novas esperanças que brotam na natureza e no coração dos homens e dos animais. Percebemos a todo momento a mudança; nos apresentam o brotar, não só da natureza, mas o brotar das esperanças nos seres humanos. Não é a toa que os movimentos de liberdade se dão ou tem a denominação desta estação. Exemplos: A Primavera de Praga, a Primavera Árabe e outras.
    No mundo uma nova ordem está começando, ditaduras intermináveis e inesperadas estão se extinguindo, estão sendo derrubadas quer queiram ou não os poderosos. Na Europa os jovens estão saindo às ruas protestando, não aceitando serem mais, as grandes vitimas de desordens econômicas dos políticos e poderosos; aceitam sacrifícios nestes momentos difíceis da realidade econômica, mas não querem ser os únicos sacrificados. Inacreditável, mas estes movimentos começam a chegar nos Estados Unidos; o que esta Primavera os trará, nós não sabemos, mas podem ter certeza de que o mundo não será o mesmo depois dela.
    Para nós bravos emergentes do hemisfério sul, que já passamos quase que incólumes pela outra crise, torcemos para que esta  também não nos faça muito mal, vamos com certeza receber os bons ares, a força, o movimento desta Primavera, mesmo que chegue para nós no verão ou no outono, sempre atrasada, mas podem ter certeza os nossos políticos, os nossos poderosos, ela vai chegar.
    Vocês que estão fazendo festas, políticos inescrupulosos; aumentando os próprios salários, aproveitando de um nosso melhor momento econômico, podem ter certeza que seus dias estão começando a serem contados, vai demorar um pouco, porque aqui sempre foi assim, mais lento, mais devagar; mas esta chegando, o movimento não tem volta, comecem a nos agradar, parem de pensar só em vocês; nós, o povo, os verdadeiros donos do poder democrático, vamos começar a cobrar. Trabalhem, sejam honestos, sirvam, pois vocês são apenas funcionários públicos, não são Autoridades. A Primavera vai chegar.
    Alguns dias atrás, uma repórter da TV Aparecida, me indagou na rua que o próximo Prefeito eleito de Paraibuna-SP, vai receber R$ 15.000,00 por mês, ela perguntou se achava muito; respondi:--- Muito, ele vai ganhar o que não ganha 20 professores municipais, ele não trabalha pelos vinte professores, portanto não tem o direito de receber esta fortuna. Os próximos candidatos a Prefeito de Paraibuna-SP, pensem, reflitam, mas pensem e reflitam muito, rezem, peçam a DEUS, que os inspirem, se forem eleitos;  mudem  esta lei, não esqueçam que vocês não são autoridades, não podem governar a bel prazer.


                                                            ÁMEM!